Responsive Ad Slot

FILMES

FILMES

CRÍTICAS

CRÍTICAS

FILMES

FILMES

SÉRIES

SÉRIES

HQS

ANIMES

ANIMES

ANIMES

PREMIAÇÕES

TRAILERS

TRAILERS

ARTISTS ALLEY

ARTISTS ALLEY

THE BATMAN | Robert Pattinson passou por um processo rigoroso para conseguir o papel

Nenhum comentário

Segundo informação do THR, Robert Pattinson teve que passar por um rigoroso processo seletivo para que pudesse conseguir o papel no filme de Matt Reeves.

O site aponta que a Warner não queria passar por uma situação parecida com Ben Affleck, isso fez com que Pattinson participasse de vários testes de cena, uniforme, leituras de roteiro, e reuniões com Matt Reeves, produtores e outros executivos. Todos esses testes serviram para analisar o nivel de interesse do ator.

Ao que tudo indica, Pattinson não fará apenas um filme, e poderá ser o Batman definitivo da DCU.

Nicholas Hoult (X-Men: Primeira Classe), Armie Hammer (Me Chame pelo Seu Nome) e Aaron-Taylor Johnson estavam entre os atores cotados pelo estúdio.

Sob a direção e roteiro de Matt Reeves, The Batman chega aos cinemas em 25 de junho de 2021. O filme focará no lado detetive do Homem-Morcego, que é o seu lado mais forte dentro da Liga, já que ele é um humano entre “deuses”.

As filmagens começam entre dezembro deste ano e janeiro de 2020.

Cearense com gosto de gás! Cinéfilo, crítico, desenhista, designer gráfico, professor de Cearensês e Mestre Jedi na arte de fazer piada ruim.


SONIC - O FILME | Jim Carrey é Robotnik no primeiro trailer

Nenhum comentário

Assim fica difícil amadurecer. Finalmente saiu o primeiro trailer de Sonic - O filme, divulgado pela Paramount. De liga aí:
  1. legendado

  1. dublado

No trailer vemos o ouriço mais rápido do universo (Sim, ele é mais rápido que o Flash) sendo caçado pelo Dr. Robotnik, interpretado por Jim Carrey. A trama gira em torno de uma policial de uma cidade pequena

O filme tem conta com a direção de Jeff Fowler, e produção de Tim Miller (Deadpool). Além de Jim Carrey, o elenco também conta com James Marsden,e Ben Schwartz como a voz do ouriço (Manolo Rey na versão dublada).

Sonic: O Filme estreia nos cinemas brasileiros em 23 de janeiro de 2020

Cearense com gosto de gás! Cinéfilo, crítico, desenhista, designer gráfico, professor de Cearensês e Mestre Jedi na arte de fazer piada ruim.


VINGADORES ULTIMATO | Análise com spoiler

2 comentários

Tudo que começa um dia tem que acabar, e com a saga do infinito não seria diferente. Após 11 anos e 22 filmes, chegamos ao encerramento desse ciclo que fez do MCU a maior franquia cinematográfica já vista. Filme a filme, histórias foram contadas, fomos cativados por um maravilhoso elenco, mas chegou o momento em que nem todos continuarão nessa jornada. Vingadores Ultimato veio com essa missão árdua, após o evento que dizimou 50% dos seres vivos de todo o universo. O hype, é claro, estava lá no alto e o título de “melhor filme de heróis já feito” era o que esperávamos. Será que conseguiu? Veremos adiante!

Os três atos são bem distintos, sendo o primeiro focado na conclusão dos ganchos deixados por Guerra Infinita, Homem Formiga e Vespa, e Capitã Marvel. O segundo foca na missão principal do filme. Por fim, o terceiro conta com a épica batalha, e a conclusão da Saga do Infinito. Não é um filme perfeito, e como qualquer outro, ele conta com pontos fortes e fracos, e será sob essa estrutura que farei minha análise. Lembrando que aqui você encontrará spoilers. Sendo assim, sem “leruaite” vamos partir para o que interessa.

  1. PONTOS POSITIVOS 
A OBJETIVIDADE: Do início ao fim, a única missão dos Vingadores é obter as joias do infinito para desfazer o estalo do Thanos. Independente dos acontecimentos, tudo gira em torno da missão. O filme não se desvia o foco, e nem mesmo cria subtramas desnecessários.

ACONTECIMENTOS IMPACTANTES: Thanos é morto por decapitação logo no início! Já percebeu o nível da coisa toda com essa notícia, não é? Isso só foi possível, pois, Thanos se encontrava debilitado após destruir as Joias, quando é surpreendido pela equipe e acaba sendo decapitado por Thor. A sensação é de que não tinha mais nada para fazer, o vilão foi derrotado, acabou o filme. A Melancolia toma uma proporção tão grande que ultrapassa a tela e atinge o espectador. Esse tipo de imersão acontece em diversas outras cenas também.

VIAGEM NO TEMPO: Desde Homem Formiga e Vespa, isso já era uma certeza, só não sabíamos como seria a abordagem. Para o bom entendimento da trama, é importante atentar para o conceito que nos é apresentado. Aqui a viagem no tempo é vista por outro angulo, onde mudanças ocorridas no passado não são capazes de alterar o presente, mas criam paradoxos temporais. Um conceito parecido com a linha alternativa em De Volta Para O Futuro, onde Biff se casa com a mãe de Marty McFly. Se um personagem do passado morrer, o presente continuará lá, pois, aquela história já foi escrita, e aquela morte criará uma linha alternativa.

JORNADA EM BUSCA DAS JOIAS: Esse momento faz parte do segundo ato. Com as joias atuais destruídas, eles se dividem em equipes para colher as joias em diferentes épocas da história. Na Terra, durante a batalha de Nova York, temos o Tesseract com Tony e Scott, o Cetro do Loki com Rogers, e a joia do tempo com Banner. Em Asgard durante o período de Thor O Mundo Sombrio, temos Thor e Rocket em busca do Éter. Em Morag, temos Rhodes e Nebulosa, e em Vormir, temos Barton e Romanoff em busca da joia da alma, durante a época do primeiro Guardiões da Galáxia. Nesse momento a nostalgia rola solta com acontecimentos de filmes anteriores, vistos de outros ângulos. Detalhe para o Thor que pegou não apenas o Éter, mas também o Mjounir daquela época antes de retornar para o presente.

LOKI PODE ESTAR VIVO: Durante a busca pelo Tesseract, Tony deixa o objeto escapar e Loki que estava sendo levado preso para Asgard, pega o Tesseract e some. Não sabemos que consequências isso trará, mas é bem possível que Loki apareça vivinho da Silva nos próximos filmes.

ÚLTIMO CAMEO DE STAN LEE: Já sabíamos que veríamos Stan Lee pela última vez no MCU. A cena acontece no momento em que Stark e Rogers voltam para os anos 70 para pegar o Tesseract de lá.

O CGI: A qualidade gráfica desse filme é absurda. Eles não economizaram em absolutamente nada. Nota-se na magreza do Tony no começo do filme, o rejuvenescimento do Hank Pym e de Howard Stark durante a parte dos anos 70. Sem falar na batalha final, que é de tirar o fôlego.

BANNER USA A MANOPLA: Banner finalmente tem sua serventia no filme, que é utilizar sua estrutura corporal alimentada por raios Gama, e usar a manopla para reverter o estalo, trazendo todos que sumiram de volta.

THOR VIKING: Thor ficou recluso e depressivo após decapitar Thanos. Quando o vemos novamente, ele está cabeludo e barbudo, parecendo um mendigo. O melhor é que esse visual é totalmente transformado quando ele invoca seus poderes, juntamente com o Rompe Tormentas e o Mjounir, ganhando uma aparência verdadeiramente Viking.

CAPITÃO AMÉRICA É DIGNO: O que muitos esperavam desde Vingadores A Era de Ultron acaba acontecendo, e se torna um dos pontos altos do filme. Capitão América levanta o Mjounir! Sim, ele é digno! Existe um momento em que Thanos chega a segurar o Rompe Tormentas, e muita gente se questionou se ele era digno. O que muitos não se atentaram, é que apenas o Mjounir tem essa magia, pois, foi Odin quem decretou que aquele que for digno de levantar o Mjounir poderá governar Asgard. Já o Rompe Tormentas, apesar de poderoso e ser capaz de conjurar a Bifrost, não é a legitima arma do rei de Asgard, decretada pelo Pai de Todos.

THANOS SEM AS JÓIAS: Quem pensou que Thanos sem as joias, não era nada, estava redondamente enganado, pois, aqui fica evidente que as joias eram apenas muletas, e que sem elas ele é mais ágil, perigoso e mortal. É impressionante a imponência do Titã, sempre sóbrio, e dessa vez, mais impiedoso. Esse Thanos aqui não teria deixado o Stark vivo. Percebendo o que os sobreviventes do estalo armaram, ele decide recuperar as joias, e dessa vez eliminar todos os seres vivos do universo, para recria-lo do zero.

RETORNO DOS HERÓIS: Com apenas Rogers de pé, Thanos invoca seu exército na pretensão de destruir o planeta Terra. A cena é de derrota completa, até que Rogers escuta um chiado em seu comunicador, e uma voz bastante familiar diz: “A sua Esquerda”. Portais dimensionais criados pelo Doutor Estranho e seus companheiros, surgem trazendo todos os heróis de volta. Que emocionante ver todos de volta, com o exército de Wakanda em peso, incluindo todo o aparato de Guerra do país. Inicia-se assim a batalha mais épica do MCU, digna de Senhor dos Anéis.

REFERÊNCIAS: O filme está repleto de easter eggs, mas o que mais me impactou foi durante a busca de Rogers pelo Centro de Loki. Para obter o cetro que está sob os cuidados dos agentes da S.H.I.E.L.D, que descobrimos ser, na verdade, da Hydra em Capitão América o Soldado Invernal, Rogers se aproxima do ouvido de um deles e fala: “Hail Hydra”. Uma referência ao recente arco dos quadrinhos onde o Capitão América revela ser um agente da Hydra. Outra referência é que finalmente Steve Rogers diz a frase: "Avengers Assemble" como um comando na batalha final. Isso foi lindo demais.

CARISMA DE TOM HOLLAND: No momento em que todos os heróis retornam, existe aquela comoção geral, mas quando é a vez do Homem-Aranha, a história atinge outro patamar. Tom é extremamente carismático, e rouba a cena toda vez que aparece. A cena em que ele fica em posição fetal para se proteger do bombardeio da nave do Thanos, não tem preço. O moleque é um gênio.

WANDA PUTASSA: Se existe uma personagem que derrotaria o Thanos sozinha, é Wanda Maximoff. Ela fica mais poderosa a cada filme que se passa, e dessa vez Thanos pede arrego ao ser dominado pelo seu poder.

CAPITÃ MARVEL NÃO É TÃO OVERPOWER: A visão dada para a personagem nesse filme, é algo bem diferente do que foi mostrado em seu filme solo. Aqui sua imponência é mais e a interpretação de Brie Larson, fluem com mais naturalidade. Algo de errado aconteceu no trabalho de direção do filme solo, pois, ela é muito mais interessante aqui do que lá. Sem falar na mudança do visual, com o cabelo curto que ficou muito massa. Mesmo sendo muito poderosa, Capitã Marvel não é completamente overpower, e isso fica evidente no momento em que ela enfrenta Thanos. Na primeira tentativa de retirar a manopla das mãos do Titã, ela é arremessada longe, e na segunda ele utiliza a joia do poder para nocautear a heroína. O tom da personagem ainda precisa ser acertado, assim como o carisma da mesma. O fato de ela ter falhado ao enfrentar o Thanos, mostra que ela não é tão poderosa como imaginávamos, e isso é bom. Não ser uma espécie de Deus “X-Machina” ambulante, pode trazer mais identificação do público devido à necessidade de superação. Afinal, Adam Warlock virá na próxima fase.

STARK USA AS JOIAS: Esse era outro momento que pensei que não fosse acontecer. Thanos está com a manopla e está prestes a estalar os dedos novamente. Ele pausa e diz: “Eu sou inevitável” e estala os dedos, mas nada acontece. Tony rouba as joias e diz: “Eu sou o Homem de Ferro”. Ele estala os dedos e elemina todo o exercício de Thanos juntamente com seu líder.

A CARGA EMOCIONAL: De todos os filmes do MCU, esse é o que tem a maior carga emocional. Logo no início do filme vemos o único vingador que não tínhamos notícias após o estalo de Thanos, o todo-poderoso Gavgod. De todas as perdas, posso dizer que a de Clint Barton foi a mais cruel, pois, ele foi o único sobrevivente de sua família. A cena onde vemos sua família inteira virar pó, é branda e sem trilha sonora, deixando a cena mais cruel. É angustiante vê-lo correndo de um lado para o outro sem saber o que fazer, e ouvir o desespero em sua voz.

A cena do Stark no espaço também tem seu nível de emoção, já mostrado nos trailers, mas é o reencontro com Rogers que chama mais atenção. Ver o Stark cadavérico e puto, ao ponto de jogar nos peitos do Capitão toda a sua angústia e sensação de fracasso, é de cortar o coração.

O reencontro de Thor com sua mãe, o sacrifício de Natasha em Vormir para salvar a vida de Barton, o reencontro de Stark com Peter é tudo muito emocionante, mas nada supera a morte do Tony. Pessoas choravam copiosamente quando Stark não resiste o efeito do uso das joias.

Steve Rogers também teve sua última participação na equipe, e sua despedida foi a única parte da minha teoria que acertei. Rogers volta para as épocas o de se encontravam as joias e o Mjounir, para que não houvesse problemas na linha temporal, e acaba não retornando. Rogers ficou no passado para viver com sua amada Peggy Carter, e finalmente ele cumpre a promessa da dança. Ele aparece bem velho sentado em um banco mais distante esperando por Sam Wilson, a quem entrega seu escudo e o título de Capitão América, assim como nós quadrinhos. Final digno para um personagem amado que sabíamos que não retornaria. Outro momento que o CGI está surreal.

GANCHOS: Sabemos que o filme não conta com cenas pós-créditos, mas isso não significam que não exista nenhum gancho para a próxima fase. Com a morte de Natasha Romanoff, sabemos que seu filme será uma espécie de spinoff, contando sobre seu passado.

Thor entrega seu reinado do povo asgardiano remanesce para Valquíria, e se junta aos Guardiões da Galáxia. Com certeza o veremos no próximo filme dirigido por James Gunn.

No funeral de Tony, vemos o garoto que o ajudou em Homem de Ferro 3. Esse poderá ser um novo usuário de sua armadura no futuro.

  1. PONTOS NEGATIVOS
THOR GORDO: Mesmo gostando do visual viking, foi estranho ver o Thor com um barrigão. Foi engraçado, mas podia ser menos vergonhoso, ter retirado aquele olho postiço e voltado com tapa-olho, como uma representação de desapego. Perderam a oportunidade de deixá-lo mais parecido com Odin.

HULK SEM REVANCHE: A maior decepção que tive nesse filme foi com o Hulk. Esperei que ele saísse dos escombros por conta própria, e que participe para cima do Thanos com sede de vingança, mas isso não acontece. E que diacho de regeneração peba era aquela? Hulk é conhecido como o detentor do maior fator cura da Marvel, mas depois de usar a manopla, ele fica com o braço mufino o resto do filme todo. Hulk merecia sim uma revanche, e de preferência usando a frase “Hulk Esmaga”. Isso seria lindo.

PONTAS SOLTAS: Existem diversas pontas soltas, e a destruição das joias é uma delas. Durante a conversa que Banner teve com a Anciã, ela explica a importância das joias retornarem Lara seu tempo, tanto que no final o Capitão América volta para fazer isso. Diante disso, fica em aberto o fato de que Thanos destruiu as joias do presente, e esse feito não causou nenhuma consequência. Não fica claro se é importante que as alterações temporais mencionadas por ela aconteceria apenas pela falta das joias, ou se isso aconteceria com qualquer outro fato, pois, um deles é a fuga do Loki.

ENCHIMENTO DE LINGUIÇA: Mesmo não perdendo o foco da missão, existem diversos momentos de puro enchimento de linguiça. Respeitando esse momento a história se torna mais morna, e um pouco cansativa pela falta de dinamismo. É claro que existem pontos importantes, mas muitos deles poderiam ser menos arrastados. É compreensível tudo isso para dar aquela esfriada antes do grande final, mas até engrenar novamente, temos que nos contentar com alguns momentos de chatice.
  1. CONCLUSÃO
Vingadores Ultimato é um baita filme, e seu forte é o lado emocional, mas para analisar com franqueza, preciso deixar a emoção um pouco de lado. Existem coisas que reparei na hora, mas ignorei para aproveitar melhor a sessão, mas ao assistir novamente, reparei em detalhes que passaram despercebidos. Pontas soltas sem explicação, e principalmente o fato de não ser um filme constante, contendo momentos de puro enchimento de linguiça. Em termos de qualidade cinematográfica, coerência com os próprios conceitos estabelecidos e roteiro, esse não é o melhor filme da Marvel, título que na minha opinião, ainda pertence a Capitão América o Soldado Invernal. Isso não o desmerece, pois, é o melhor “filme-evento”, e o mais emocionante de todos do MCU. Tem os melhores efeitos, e as melhores cenas de batalha, e é uma conclusão digna para a saga do infinito, e para alguns personagens. Sim, esse “alguns” é uma cutucada no decepcionante Hulk. Espero que a série faça o que o cinema não fez.

  1. TRAILER

  1. FICHA TÉCNICA
Título original: Avengers: Endgame
Data de lançamento: 25 de abril de 2019 (3h 01min)
Direção: Joe Russo, Anthony Russo
Elenco: Robert Downey Jr., Chris Evans, Mark Ruffalo
Gêneros: Ação, Fantasia, Aventura
Nacionalidade: EUA
Distribuidor: DISNEY / BUENA VISTA
Ano de produção: 2019

Cearense com gosto de gás! Cinéfilo, crítico, desenhista, designer gráfico, professor de Cearensês e Mestre Jedi na arte de fazer piada ruim.


MONSTRO DO PÂNTANO | Assista ao primeiro trailer da série

Nenhum comentário

Monstro do Pântano, série da DC Universe produzida por James Wan, acaba de ganhar seu primeiro trailer completo. Se liga:



A série é baseada nas HQs de Len Wein e Nernie Wrightson, e acompanhará a trajetória da pesquisadora da Coordenadoria de Controle de Doenças, Abby Arcane (Crystal Reed), que investiga investigar um vírus originado de um pântano em Houma, Louisiana, com a ajuda do cientista Alec Holland (Andy Bean). Holland acaba sumindo de forma misteriosa, retornando como uma criatura monstruosa vinda do pântano.

Com roteiro de Mark Verheiden (Constantine) e Gary Dauberman (It: A Coisa), e produção de James Wan (Invocação do Mal), a série contará no elenco com Jennifer Beals (Xerife Lucilia Cable) Crystal Reed (Abby Arcane), Maria Sten, (Liz Tremayne), Ian Ziering (Demônio Azul). Andy Bean dará vida ao cientista Alec Holland), enquanto o ator Derek Mears será a versão monstruosa do personagem.

Monstro do Pântano chega ao DC Universe em 31 de maio.

Cearense com gosto de gás! Cinéfilo, crítico, desenhista, designer gráfico, professor de Cearensês e Mestre Jedi na arte de fazer piada ruim.


© all rights reserved
By templateszoo and Callango Nerd