-->

Theme Layout

Theme Translation

Trending Posts Display

Home Layout Display

Posts Title Display

404

We Are Sorry, Page Not Found

Home Page

Dentre diversos heróis do Brasil, há alguns que sequer conhecemos e eles precisam de reconhecimentos. Sérgio é um deles. Essa obra da Netflix conta a história baseada em fatos de um diplomata brasileiro que trabalha na Organização das Nações Unidas (ONU) e é enviado para apaziguar um dos conflitos mais complicados enfrentados pela instituição: a ocupação do Iraque pelos Estados Unidos e o processo complexo de redemocratização. Infelizmente, um bombardeio atinge um dos locais onde Sergio se encontrava e, preso entre os escombros, o homem assiste sua vida inteira passar em seus olhos. 

A veracidade do filme põe em evidência a violência, a injustiça e a miséria dos locais onde a ONU precisa atuar e o difícil trabalho de um diplomata, um homem que precisa ter o poder da negociação sem uma única arma na mão. É difícil fazer com que dois lados de um conflito que está em jogo inúmeras mortes, dinheiro, território, religião... simplesmente suspendam os ataques e confiem neste estrangeiro que, em tese, é imparcial e quer o melhor para os dois lados. 

Esse é o novo desafio de Wagner Moura. Como Sergio, o autor desempenha uma atuação bastante diferente das passadas e de forma exemplar, contracenando em uma energia bastante envolvente entre ele e Ana de Armas – que interpreta Carolina no filme. Existe uma serenidade na fala do ator, no olhar, acompanhada de uma coragem que esconde uma constante incerteza – afinal, tudo é incerto no trabalho de um diplomata. “Os dois lados vão honrar a palavra? Vão respeitar o cessar fogo? Quando eu voltarei para casa? Será que os dois lados do conflito vão me receber e me dar voz no confronto?” Tudo isso circula nas ações de Sergio: firme, preocupado e sereno. 

O ritmo do filme caminha entre passado e presente, num roteiro que vive da poética das reflexões de um homem em um momento crucial, colocando em xeque os diversos conflitos do diplomata e suas escolhas, seja da sua vida pessoal, seja profissional, que levaram até aquele momento. Sobre os aspectos técnicos de fotografia e sonoplastia, há um ótimo aproveitamento do potencial paisagístico dos lugares e, em certos momentos, um diálogo com técnicas documentaristas – ambos os exercícios potencializam os momentos deixando-os mais intensos, ajudam na imersão do momento, entre o caos e o paraíso. 

Por fim, o filme também revela a relação polêmica entre a UNO e o Governo Americano, sendo este mais um desafio para Sergio e sua conduta moral como diplomata. Este é um ótimo filme que entra para lista de grades obras brasileiras, que revela heróis, símbolos nacionais, até então não tão conhecidos.

  1. trailer
  1. ficha técnica
Título Original: Sergio
Lançamento: 17 de abril de 2020
Duração: 1h 58min
Gênero: Biografia, Drama
Direção: Greg Barker
Elenco: Wagner Moura, Ana de Armas, Brían F. O'Byrne
Nacionalidade EUA
Distribuidor Netflix
Ano de produção 2019

Fotógrafo por acidente, Mestrando em Geografia e cinéfilo por amor.
Comente