A MORTE TE DÁ PARABÉNS | Vale ou não a pena assistir? Leia nossa crítica


Uma das melhores coisas que existem em um filme é quando não se tem nenhuma expectativa e ele te surpreende. Foi isso que aconteceu comigo durante a sessão de imprensa organizada pelo Espaço/Z de A Morte Te Dá Parabéns. Sem "leruaite" vamos partir para o que interessa.

Titulo Original : Happy Death Day
Data de lançamento: 12 de outubro de 2017 (1h 36min)
Direção: Christopher Landon
Elenco: Jessica Rothe, Israel Broussard, Charles Aitken
Gêneros: Terror, Suspense
Distribuidor: UNIVERSAL PICTURES
Nacionalidade: EUA

A temática de apresentar uma pessoa presa no tempo, vivendo o mesmo dia em um loop infinito não é nenhuma novidade no cinema, algo já visto em Feitiço do Tempo, com Bill Murray, e no mais recente No Limite do Amanhã com Tom Cruise. Mostrar uma jovem perseguida por um assassino também não, principalmente quando ela corre feito o Usain Bolt até tropeçar e cair, e o assassino consegue alcançar apenas caminhado, como em Pânico, Sexta-Feira 13 e muitos outros filmes. Olhando por esse ângulo você pode até imaginar que o filme poderia ser um complemento clichê, mas o grande mérito de A Morte Te Dá Parabéns foi conseguir misturar tudo isso da forma única, sem necessariamente se levar tão a sério, brincando com esses subgêneros, entregando um filme muito divertido.

A protagonista, Tree (Jessica Rothe), é aquela típica garota fútil, arrogante e superficial da faculdade que todo mundo tem um motivo para odiar. Sério, com alguns minutos eu já tava com abuso da cara dela e torcendo para que alguma coisa ruim acontecesse, até que aconteceu. Tree acaba sendo perseguida e assassinada por um misterioso mascarado. Mas a questão não se trata apenas disso, quando Tree é assassinada, ela acorda no mesmo dia como se nada tivesse acontecido, mas lembrando de tudo que se passou. A princípio Tree até imagina que tudo é um grande déjà-vu, mas logo percebe que as coisas são mais sérias. Ela está presa em um loop infinito, onde acorda, vive o mesmo dia, é assassina a noite, e acorda de novo. É nesse ponto que começa sua jornada para descobrir a identidade do assassino e conseguir, assim, se libertar do loop. A trama é simples, não necessitando de muito esforço do espectador para entender. Mesmo assim o roteiro apresenta diversos artifícios que conseguem nos entreter a ponto de ficarmos envolvidos em todas as cenas, sejam de terror, suspense ou até mesmo de comédia. Essa mistura foi muito bem empregada. 

O humor presente em A Morte Te Dá Parabéns é inteligente e preciso, vindo das situações em que Tree se encontra durante sua jornada de descoberta e de redenção, se tornando uma pessoa melhor com as adversidades. 

O TEXTO A SEGUIR PODE CONTER SPOILERS 

Mesmo com tantas boas escolhas, é claro que existem alguns vacilos. Depois de tantas tentativas para descobrir quem é o assassino, morrendo e voltando várias vezes, nos perguntamos se isso poderia ou não ser infinito, mas Tree acaba descobrindo que existem consequências para cada morte, afetando sua saúde. O vacilo vem quando essa informação é incluída como algo importante, mas que depois é praticamente ignorada, se perdendo na trama. Outro ponto a ser observado é que o filme não explica o motivo de tudo ter começado, dando a impressão que tudo foi uma obra do acaso. Alguns podem considerar isso como algo positivo, quanto para outros pode ser negativo, mas da forma que foi feito me lembrou muito os episódios de Além da Imaginação (Twilight Zone), e vendo por esse ângulo, eu gostei.

Respondendo a pergunta título do post, sim, vale muito a pena assistir. Assisti esse filme sem nenhuma expectativa e ele me surpreendeu apresentando uma trama organizada e despretensiosa, entregando um ótimo filme que me divertiu bastante.



COMPARTILHE

Postar um comentário

CRÍTICA DE CINEMA

SÉRIES

CURIOSIDADES

ARTISTS ALLEY

Copyright © CALLANGO NERD. Designed by OddThemes