CASTLEVANIA | Vale ou não a pena assistir? Leia nossa crítica


Depois de muitos anos sonhando (literalmente) em um dia ver uma adaptação de Castlevania (Castelo da Vania para os íntimos), esse dia finalmente chegou. Castlevania chegou na Netflix no formato de em um anime "PHODA BAGARAI!" 

"Essa série não é uma pilha miserável de segredos!"

Título: Castlevania
Criado por Warren Ellis (II) (2017)
País: EUA
Gênero: Aventura, Fantasia, Animação
Duração Episódios: 24 minutos
Produção: Netflix

Uma das maiores e antigas franquias de games do mundo chegou na Netflix. Castlevania teve a algum tempo atrás, a promessa de uma adaptação cinematográfica encabeçada por Pawl S.W Anderson (Franquia Cinematográfica Resident Evil), mas felizmente esse projeto não saiu. Digo “felizmente” não por não querer um live-action, mas por ser encabeçada por Paul S.W Anderson, que estragou Resident Evil no cinema. Seria bem capaz de ele colocar a esposa, Milla Jovovic, como protagonista e os Belmont serem jogados para escanteio. 

A série é baseada em Castlevania III: Dracula's Curse. Assim como no jogo original, a história é protagonizada por Trevor Belmont. Último descendente de uma longa linhagem de caçadores de vampiros que anda desmotivado por conta de sua família ter sido “banida” da região, mesmo depois de terem dedicado suas vidas em prol da sobrevivência da humanidade contra o próprio Conde Vlad “Drácula” Tepes. 

Essa primeira temporada é composta de apenas quatro episódios bem construídos, fazendo a introdução de seus personagens chave. Além de Trevor Belmont, a série apresenta também outros personagens do game original, a oradora Sypha Belnades e o meio-vampiro Alucard, filho do próprio Drácula e mais famoso personagem da franquia. 

A história se inicia abordando a relação de Vlad com sua esposa, Liza. Liza é acusada de bruxaria pelos líderes da igreja de Wallachia e queimada viva em praça pública. Com isso Vlad dá início a sua vingança contra os habitantes da cidade de Wallachia. Nesse ponto podemos perceber que o anime foge do clichê do malvado Drácula que tem sede de sangue, e o mocinho vai lá para derrota-lo, virando a mesa e colocando os líderes da igreja como vilões. Da até pra torcer pelo Drácula nos minutos iniciais. 

O anime apresenta belos traços e com uma ótima movimentação dos personagens, principalmente nas cenas de ação, que apresenta um nível de violência visceral. O que é excelente para a série. A ambientação também é perfeita. O clima gótico, sombrio e desesperador com vilarejos, igrejas, castelo e muito sangue me trouxeram uma nostalgia incrível dos jogos. 

Existe algo que me fascina bastante no universo de Castlevania que são todas a alegorias que envolve esse universo. Perseguição de bruxas, implicância da igreja contra métodos científicos, monstros, demônios, túneis secretos e isso tudo podemos ver nessa primeira temporada.

O maior trunfo dessa série foi a escolha de adaptação com Castlevania III: Dracula's Curse. Na cronologia de Castlevania, temos Lament of Inoscence como o primeiro game, mas em Dracula´s curse vemos pontos e personagens importantes dentro do universo de Castlevania, que agradam tantos os fãs da saga (como eu), quanto os novatos. Essa foi a escolha perfeita. A presença de Trevor Belmont, Alucard de Sophia Belnades, nos coloca dentro desse universo com história com visões de passado, presente e futuro da série.

O único ponto fraco da série é a quantidade de episódios, eu esperava no mínimo dez, mas a qualidade e a oportunidade de ver uma adaptação digna de respeito do meu game favorito fez tudo valer a pena.

Respondendo à pergunta título do post, sim, vale e muito a pena. Adaptação de games é algo difícil de ser feito, tanto que poucas obras foram bem representadas até hoje. Mesmo com apenas quatro episódios, ela consegue deixar um gostinho de quero mais.

Deu até vontade de jogar tudo de novo. O primeiro jogo que tive a oportunidade de jogar foi o Castlevania III: Dracula's Curse. Eu era criança e achava o game muito “massa”, porém muito difícil. Mas o jogo que me fez ficar completamente viciado foi Castlevania: Symphony of The Night, protagonizado por Alucard. Depois de dedicar inúmeras horas nesse game, busquei todos os Castlevania que existiam para jogar e finalizar um por um. Ia nas lan house para imprimir folhas e folhas com os conteúdo do site Vg Museum / Castlevânia Realm e saber de tudo sobre a história de cada jogo. Se tivesse um concurso sobre Castlevania eu passava em primeiro lugar rsrsrs. Imagina como foi pra mim assistir essa série.


CASTLEVANIA NETFLIX



COMPARTILHE

Postar um comentário

CRÍTICA DE CINEMA

SÉRIES

CURIOSIDADES

ARTISTS ALLEY

Copyright © CALLANGO NERD. Designed by OddThemes