TROLLS | Vale ou não a pena assistir?


O Callango Nerd esteve em mais uma cabine de imprensa à convite da Espaço Z. Dessa vez para conferir a animação Trolls (2016) de Mike Mitchell e Walt Dohrn que estreia nesse 27 de outubro nos cinemas brasileiros.


Título: Trolls
Data de lançamento 27 de outubro de 2016 (1h 33min)
Direção: Mike Mitchell (V), Walt Dohrn
Elenco: Jullie, Hugo Bonemer, Hugo Gloss
Gêneros Animação, Aventura, Fantasia, Comédia Musical
Nacionalidade Eua
Distribuidor Fox Film do Brasil
Ano de produção 2016

SINOPSE: Ramo (Justin Timberlake) parte para uma jornada de descobertas e aventuras ao lado de Poppy (Anna Kendrick), líder dos Trolls. Inicialmente inimigos, conforme os desafios são superados eles descobrem que no fundo combinam.

Nova animação da Dreamworks Animation baseada nos bonecos Trolls, criados em 1958 e famosos por seus cabelos arrepiados é colorida, dançante e divertida, dosando bem em seu roteiro ensinamentos preciosos para a criançada, e deixando uma mensagem clara sobre a verdadeira felicidade, que existe dentro de cada um.

Confesso que fui preconceituoso com o filme. Imaginei uma animação chata, excessivamente colorida e daquelas com músicas o tempo todo sendo cantada pelos personagens... Acontece que o filme é assim mesmo, mas tudo tem um propósito que é muito bem explicado ao longo do filme. O filme é um espetáculo de cores para os olhos e produz um encanto nos espectadores, especialmente as crianças.

Os trolls são umas criaturas simpáticas que passam o dia todo cantando, dançando e abraçando. No entanto, eles são perseguidos pelos Bergens, criaturas monstruosas que acreditam que comer aquelas criaturinhas é a única forma de conhecer a felicidade e até instituíram o trollstício, um feriado anual para o banquete. Acontece que nesse dia, os Trolls fogem e encontram um novo lar seguro para habitarem.

20 anos se passam desde que os Trolls se livraram dos Bergens, e Poppy (Anna Kendrick no original) planeja uma grande festa. O que ela não imagina é que a festa cheia de som, cores e fogos de artifício irá atrair os rivais. Após terem seu esconderijo descoberto e alguns Trolls serem sequestrados para servirem de alimento ao rei Bergen, Ramo (Justin Timberlake) parte para uma jornada de descobertas e aventuras ao lado de Poppy , líder dos Trolls, que é conhecida por ser insanamente feliz. Conforme os desafios são superados eles descobrem que no fundo combinam um com o outro.

O filme tem seus excessos, como os ataques de purpurina de Guy Diamante (dublado, no Brasil, por Hugo Gloss), mas chama a atenção uma cena em que os Trolls estão na panela e perdem as cores é fabulosa e emocionante. É incrível que num filme extremamente colorido, a cena mais tocante é em preto e branco... No mais, Trolls é pensado para faturar e alto com os bonecos, e demais itens derivados do filme. 

As músicas estão muito bem traduzidas e houve inclusive o bom senso de não traduzir algumas delas, como na parte em que a Poppy canta The Song Of Silence para o Tronco, numa das cenas mais hilárias da trama. Se destaca Can't Stop The Feeling de Justin Timberlake que além de dublar a versão original também é produtor musical da animação.

Por fim, a animação é daqueles que embora terminem, eles não acabam, pois a mensagem de alegria que é plantada pelo filme contagia durante os créditos de modo que o público sai da sala escura de um modo diferente do que entrou.



Imagens IMBD



COMPARTILHE

Postar um comentário

CRÍTICA DE CINEMA

SÉRIES

CURIOSIDADES

ARTISTS ALLEY

Copyright © CALLANGO NERD. Designed by OddThemes