CRÍTICA | Esquadrão Suicida


E aí "negada", ontem fui ao cinema conferir esse filme que por gerou bastante expectativa em muita gente e que acabou recebendo diversas críticas negativas que fizeram muitas pessoas não indo conferir o filme. A pergunta que ficou na minha cabeça foi: "Esse mimi todo faz sentido?"
Bom, vamos deixar de "leruaite" e partir para o que interessa.

Título original: Suicide Squad
Data de lançamento: 4 de agosto de 2016 (2h 10min)
Direção: David Ayer
Elenco: Will Smith, Jared Leto, Margot Robbie
Gêneros: Ação, Fantasia
Nacionalidade: Eua
Distribuidor: WARNER BROS.
Ano: 2016



SINOPSE: Após a aparição do Superman, a agente Amanda Waller (Viola Davis) está convencida que o governo americano precisa ter sua própria equipe de metahumanos, para combater possíveis ameaças. Para tanto ela cria o projeto do Esquadrão Suicida, onde perigosos vilões encarcerados são obrigados a executar missões a mando do governo. Caso sejam bem-sucedidos, eles têm suas penas abreviadas em 10 anos. Caso contrário, simplesmente morrem. O grupo é autorizado pelo governo após o súbito ataque de Magia (Cara Delevingne), uma das "convocadas" por Amanda, que se volta contra ela. Desta forma, Pistoleiro (Will Smith), Arlequina (Margot Robbie), Capitão Bumerangue (Jai Courtney), Crocodilo (Adewale Akinnuoye-Agbaje), El Diablo (Jay Hernandez) e Amarra (Adam Beach) são convocados para a missão. Paralelamente, o Coringa (Jared Leto) aproveita a oportunidade para tentar resgatar o amor de sua vida: Arlequina.

Assim com em BvS, fica claro que a Warner (estou me referindo só a Warner), está querendo correr atrás do prejuízo por conta da Marvel te iniciado esse "boom" do filmes de heróis, com Esquadrão Suicida não é diferente. Depois do sucesso de Deadpool e da críticas negativa ao BvS (que eu não vi muito sentido pois gostei do filme), a Warner decidiu refilmar algumas cenas para deixar o filme mais engraçado. O humor funcionou, mas os cortes finais nos mostraram um filme morno.

O filme começa muito bem com a presença realmente marcante de Viola Davis como Amanda Waller apresentando seu projeto e cada componente do Esquadrão Suicida, detalhe importante para a trilha sonora que realmente é "fodástica". Infelizmente essa apresentação acaba sendo um pouco apressada e que acaba não explicando algumas coisas sobre alguns personagens que o filme acaba e você fica sem saber. 

Inicialmente o filme mostra ter uma formação de um time e o que se espera disso é que nos envolvamos com cada componente desse time, mas o foco mesmo são apenas dois personagens, Arlequina e Pistoleiro. Era quase que óbvio que isso acontecesse já que Will Smith e Margot Robbie são os melhores atores dessa equipe.

O grande destaque do filme sem sobra de dúvidas é a Arlequina (Margot Robbie...Ah Margot...). Ela Linda, perturbada, traumatizada, demente e fatal que sempre rouba a cena em todos os momentos. Você fica assistindo e esperando o que ela vai fazer. Destaque para a fan service que ela aparece trajada com a roupa clássica de sua personagem nas HQs dançando com o Coringa que é uma referência clara a arte de Alex Ross. Quanto a relação entre ela e o Coringa, o roteiro mostra que é algo bem doentio e que ela é vítima de um relacionamento abusivo, mas que deveria ter sido melhor representado se o Coringa não parecesse tão apaixonado. Coisa que não acontece nas HQs.

O Coringa de Jared Leto é bom, mas apenas na interpretação do ator. Jared Leto incorporou muito bem o personagem e pela primeira vez eu pude ver a loucura do palhaço nos olhos de um ator, mas a composição do personagem, o trabalho de arte e seu pouco tempo em tela atrapalhou todo o trabalho do ator. Leto falou que diversas cenas foram cortadas e a prova disso é que nos trailers vemos muitas dessas cenas que não foram para a versão final do cinema, novamente os cortes finais estragaram tudo. Outro ponto sobre o Coringa é que todos vivos o tamanho do Marketing que foi feito em cima do personagem e todos acreditávamos que ele seria uma peça chave dentro do filme, pois foi assim que ele foi vendido, mas isso não acontece. O Coringa só está no filme por causa da Arlequina e nada mais. O trabalho de arte em cima do ator já incomodava muita gente até antes do filme ser lançado, algo que realmente era desnecessário. O lance das tatuagens e da ostentação não me incomodaram tanto, afinal ele é o rei do crime de Gotham, mas as frescuras como a do sorriso tatuado na mão é que me deu raiva. Não precisava disso.

Will Smith também muito bem no filme. O Pistoleiro é o personagem que mais tem tempo de tela e sua história é a melhor apresentada e tem excelentes cenas de ação. Já os outros personagens se classificam entre personagens avulsos e personagens inúteis, sem o a devida importância e carisma. A caracterização de todos ficou muito boa, se destacando o Crocodilo com uma maquiagem incrível, a Katana e outros personagens que tiveram um quase desenvolvimento em cena, mas não passa disso.

Quando eu vi na lista do elenco que Viola Davis estaria no filme eu já sabia que sua personagem seria muito bem representada, mas não tinha ainda ideia do quanto. Viola Davis me fez ter medo da Amanda Waller, sério. Ela é muito, mas muito ameaçadora e imponente em seu papel, não tem como não perceber o talento dessa a triz em qualquer que seja o trabalho que ela faça.

O filme também conta com algumas participações especiais como a de Ben Affleck como o Batman que me fez vibrar em suas poucas e curtas cenas. Esse "cabra" se garante. Agora o que eu não imaginava que aconteceria acabou aparecendo no filme, Ezra Miller em uma curta cena como Flash quase me fez ter um "troço"!

Uma das minhas preocupações com relação ao que os trailers mostraram era se o filme apresentaria uma trilha "pancada" como a que podemos ver no trailer. Sim, a trilha sonora do filme é incrível! A lista de músicas é simplesmente sensacional, mas eu só senti uma coisinha assim meio Guardiões da Galáxia sei lá, mesmo assim vale muito a pena conferir e vibra com as músicas.

O filme começa bem e acaba perdendo o ritmo no decorrer da história, creio eu  que isso tudo tenha acontecido por causa das refilmagens e dos falhos cortes, um problema que vimos em Batman vs Superman.

O 3D é inteiramente dispensável, fiquei com raiva porque no cinema que eu fui só tinha cessão em 3D, paguei mais caro pra nada de mais.

VEREDITO: O filme não fede nem cheira, não é bom nem ruim, mas também não é essa "desgraceira" toda que o Rotten publicou. Como um filme de ação ele é bom e funciona bem, mas como adaptação fica devendo. Esquadrão Suicida tinha tudo pra ser incrível, pois o elenco e o enredo davam todas essas possibilidades. Acredito que a DC Comics deva realmente se despender da Warner pra poder ter o melhor controle criativo de seus filmes. Nesses casos eu sempre prefiro assistir e ter tirar minhas conclusões pois eu gostei do filme e me diverti bastante, só não valeu a pena ter tanta expectativa e assistir em 3D.

NOTA: 7,5/10



COMPARTILHE

Postar um comentário

CRÍTICA DE CINEMA

SÉRIES

CURIOSIDADES

ARTISTS ALLEY

Copyright © CALLANGO NERD. Designed by OddThemes