CRÍTICA | Capitão América: Guerra Civil


E aí negada! Fui ontem com minha digníssima esposa Callanga, assistir Vingadores 2.1, ops! Capitão América: Guerra Civil! Comprei ingressos para o filme dublado, pois não tinha mais salas disponíveis, só que quando começou o filme, estava legendado e a "negada" começou a fazer "inxame" na sala, pedindo cortesia para X-Men: Apocalipse. "Marrô marmotage medonha!" MAS, vamos deixar de "leruaite" e partir para o que interessa...

Título original: Captain America: Civil War
Data de lançamento: 28 de abril de 2016
Duração: 2h 28min
Direção: Anthony Russo, Joe Russo
Elenco: Chris Evans, Robert Downey Jr., Scarlett Johansson
Gêneros: Ação
Nacionalidade: Eua
Distribuidor: DISNEY / BUENA VISTA
Não recomendado para menores de 12 anos
Lançamento: 2016

SINOPSE: Steve Rogers (Chris Evans) é o atual líder dos Vingadores, super-grupo de heróis formado por Viúva Negra (Scarlett Johansson), Feiticeira Escarlate (Elizabeth Olsen), Visão (Paul Bettany), Falcão (Anthony Mackie) e Máquina de Combate (Don Cheadle). O ataque de Ultron fez com que os políticos buscassem algum meio de controlar os super-heróis, já que seus atos afetam toda a humanidade. Tal decisão coloca o Capitão América em rota de colisão com Tony Stark (Robert Downey Jr.), o Homem de Ferro.

Muita expectativa se criou sobre Capitão América: Guerra Civil, onde não sabíamos como seria feita, já que a Marvel não possui os direitos de todos os personagens presentes nasHQs do arco Guerra Civil de Mark Millar e Steve McNiven. Conseguir adaptar uma história como essa, com tantos personagens e com tantas restrições, foi o maior desafio dos irmãos Russo e dos roteiristas Christopher Markus e Stephen McFeely. Eles conseguiram? É isso que eu venho comentar aqui.

Primeiramente temos que ter a consciência de que existem muitas diferenças entre as HQs e o Cinema por conta dos direitos dos personagens. Isso você pode conferir em um post sobre As Principais Diferenças entre a HQ e o Filme aqui.

O filme se situa logo depois dos acontecimentos em Capitão América: O Soldado Invernal e Vingadores: A Era de Ultron. Uma tragédia acontece durante uma missão liderada pelo Capitão América na África. Esse acontecimento é visto pelas Nações Unidas como o ápice da desordem, depois de tantas mortes causadas pela invasão do exército alienígena liderado por Loki em Nova York, a queda da S.H.I.E.L.D e seus porta-aviões em Washington e o quase apocalipse causado por Ultron em Sokovia. Para que tragédias como essas não voltem a acontecer, foi desenvolvido um documento que tem o propósito de restringir as ações particulares dos Super Heróis, o tratado de Sokovia. Trocando em miúdos, se os Heróis assinarem o tratado, eles não podem nem salvar um gatinho de uma árvore sem a devida convocação das Nações Unidas para o serviço.

Com o tratado na mesa, as opiniões entre os Vingadores ficam divididas, Tony Stark (Robert Downey Jr.) tomado pela culpa de ações passadas e Steve Rogers (Chris Evans) preocupado em proteger os seus colegas de batalha. Com isso, aquela velha rixa entre Homem de Ferro e Capitão América, estabelecida desde o seu primeiro encontro no cinema, ganha contornos épicos.

HOMEM DE FERRO: Robert Downey Jr. nos traz um Tony Stark mais maduro, diferente de suas outras encarnações onde "frescava" com todos e levava tudo na base da brincadeira. A posição de antagonista faz com que Robert Downey Jr. mostre a versatilidade de um ótimo ator, saindo de um piadista para um maduro, sério e mais dramático. Tudo isso sem deixar de ser o Tony Stark que tirou Downey Jr. do limbo.

CAPITÃO AMÉRICA: Chris Evans como sempre faz perfeitamente seu papel. As cenas do Capitão América sempre me surpreendem, principalmente pelas coreografias de luta executadas. Nesse filme Steve Rogers tem um papel não muito diferente dos outros filmes, é sua determinação que nos traz toda a imersão na história.
SOLDADO INVERNAL: O filme nos faz mostra realmente tudo o que aconteceu com Bucky Barnes. Sebastian Stan faz muito bem o papel do desmemoriado com todo o seu problema psicológico que o divide em ser o melhor amigo de Steve Rogers e o Soldado Invernal, dominado por uma lavagem cerebral feita pela Hydra, fazendo dele alguém imprevisível e perigoso. Mesmo não sendo um personagem presente nas HQs do arco Guerra Civil, sua presença é muito importante para o desenrolar da história do filme, tanto pelas motivações de Steve Rogers como na introdução do Pantera Negra.

PANTERA NEGRA: A presença dele no filme é uma das melhores coisas do filme. A introdução de T'Challa no MCU é feita de forma envolvente e muito convincente, apresentando um herói desconhecido do grande público, estabelecendo cuidadosamente o seu universo, da pessoa pública ao guerreiro. A interpretação de Chadwick Boseman é perfeita e bastante fiel ao das HQs e suas cenas de ação são muito boas, mostrando realmente que o Pantera será o novo queridinho da galera. Escreva isso: "Depois desse filme, fãs do Pantera vão brotar sabe lá de onde!"

HOMEM-ARANHA: Esse dispensa apresentações, tanto que a galera gritou assim que ele apareceu. Com duas versões cinematográficas realizadas pela Sony, conhecemos o melhor Peter Parker com Tobey Maguire e o melhor Homem-Aranha com Andrew Garfield, daí veio a pergunta: O que Tom Holland irá trazer? Simples, a cara da Marvel. Tom Holland tem uma ótima participação no filme, maior até do que eu pensava que seria, cheia de referências aos filmes anteriores, mostrando o melhor do jovem Peter Parker, nerd e liso, e o Homem-Aranha tagarela, sem noção e que apanha muito e bate muito enquanto descarrega uma tonelada com comentários nerds durante a luta. Sua apresentação para esse novo universo é feita de forma inteligente é muito boa. Sua história de origem é resumida em um ótimo diálogo com Tony Stark sobre seu uniforme, habilidades, lança teia, sua personalidade e relação com sua tia May. Na cena, Tony Stark resume tudo a respeito de Marisa Tomei que vínhamos pensando ao seu respeito, ou seja, o cara da cima dela. Que tia ein Peter!

OUTROS HERÓIS: A participação dos outros heróis são competentes como sempre foram, com destaque para o relacionamento entre Visão e Feiticeira Escarlate, já conhecido nos quadrinhos, é apresentado na telona de forma delicada e sutil. A lealdade do Falcão, Máquina de Combate, Gavião Arqueiro e Viúva Negra. Outro grande destaque é oHomem-Formiga, só que não irei contar... Vá assistir ao filme!

As cenas de luta são muito bem feitas e de uma forma tão envolvente, que fica difícil realmente escolher um lado. Mais uma marca registrada dos irmãos Russo.

O QUE ME INCOMODOU

Barão Zemo: De Barão e de Zemo não tem nada. Desprovido do baronato, o vilão interpretado por Daniel Brühl aparece em uma versão que não tem nada a ver com asHQs. Ele funciona como uma espécie de Lex Luthor de BvS, não pela interpretação e sim pela função estabelecida no filme. Funciona? Funciona, mas aquele não é o Zemo de jeito nenhum!

Ossos Cruzados: Ele está no filme? Sim! Ele tem uma pequena participação que pode até ser esquecida fácil.

  Da mesma forma que foi o Barão Von Strucker em Vingadores: Era de Ultron, tanto ele como o Zemo foram subestimados como vilões. A Marvel tem ótimos vilões e os do Capitão América estão entre os melhores. Vilão nazista, quem não gosta? Mesmo assim, a Marvel insiste em apresenta-los de qualquer forma e da um fim neles de qualquer jeito. Espero que o Zemo possa aparecer da forma que o conhecemos nas HQs.

EFEITOS ESPECIAIS: Em diversos pontos, o CGI é tão perfeito que me impressionou de uma forma surpreende em alguns momentos, mas que acaba se parecendo O Retorno da Múmia em outros. Sério, eu venho reparando isso desde A Era de Ultron. Parece algo superficial e de cara da pra perceber que não é de verdade. Qual é Marvel?!

VEREDITO: O filme tem a cara e a qualidade dos irmãos Russo que dirigiram Capitão América: O Soldado Invernal que ainda é o melhor filme da Marvel até agora, pelo simples fato de fazer uma grande diferença no universo Marvel, e não ser mais um capítulo. Mesmo com os pontos negativos, os positivos são em maior quantidade, cumprindo muito bem o seu papel, com as limitações de direitos sobre os personagens e tudo. O fato de não ser totalmente igual as HQs, não me incomodou tanto como eu pensei que incomodaria, e se fosse igual, daria mais um filme com certeza. A Marvel descobriu sua fórmula e só vem melhorando com um filme de ação com um ótimo roteiro é seriedade, tendo seus alívios cômicos momento certo. Que venha a Guerra Infinita!

NOTA: 8,5/10



COMPARTILHE

Postar um comentário

CRÍTICA DE CINEMA

SÉRIES

CURIOSIDADES

ARTISTS ALLEY

Copyright © CALLANGO NERD. Designed by OddThemes