CRÍTICA | Rua Cloverfield, 10


E aí "negada", fui ontem assistir um filme que realmente me surpreendeu, 'Rua Cloverfield, 10'. Antes de assistir ao filme, eu tinha visto críticas boas a respeito, daí fiquei na curiosidade de assistir, mas não tinha ideia do que estaria me esperando naquela sala de cinema com pouca gente, perdeu quem não estava lá. Mas vamos deixar de "leuraite" e partir para o que interessa!


Título original: 10 Cloverfield Lane 
Lançamento: 7 de abril de 2016 (1h43min) 
Dirigido por: Dan Trachtenberg
Roteiro de: Josh Campbell, Matthew Stuecken e Damien Chazelle
Produzido por: J.J. Abrams
Com: Mary Elizabeth Winstead, John Goodman, John Gallagher Jr.
Gênero: Ficção científica , Suspense
Nacionalidade: EUA
Não recomendado para menores de 14 anos
Distribuidor: PARAMOUNT PICTURES
Ano de produção: 2016

SINOPSE: Uma jovem (Mary Elizabeth Winstead) sofre um grave acidente de carro e acorda no porão de um desconhecido. O homem (John Goodman) diz ter salvado sua vida de um ataque químico que deixou o mundo inabitável, motivo pelo qual eles devem permanecer protegidos no local. Desconfiada da história, ela tenta descobrir um modo de se libertar — sob o risco de descobrir uma verdade muito mais perigosa do que seguir trancafiada no bunker.

O filme que deu proposito para essa história, e que muita gente se perguntou se tinha alguma ligação, foi 'Cloverfield - Monstro', lançado em 2008, produzido pelo Mestre Jedi J.J. Abrams, dirigido por Matt Reeves e escrito por Drew Goddard. Um filme no estilo found footage, pra quem não conhece o termo, é o estilo do filme 'A Bruxa de Blair' e 'Atividade Paranormal'. O filme nos coloca dentro de um ataque de um gigantesco na cidade de Nova York, destruindo tudo que vê, incluindo a Estátua da Liberdade. São apenas 81 minutos, mas que nos trás uma obra tensa, envolvente e muito original.

De 2008 pra cá, J.J. Abrams sempre foi perguntado se haveria ou não uma sequencia, mas ele nunca havia se mostrado interessado. Por isso, quando Rua Cloverfield, 10 (10 Cloverfield Lane) foi anunciado, a galera ficou assim: "Meu irmão doido, maluco!". Sério, todo mundo foi pego de surpresa, pois ninguém sabia que o filme estava sendo produzido, até porque o nome de J.J. Abrams só era citado sobre Star Wars. Eu fui um, que nunca noticiei nada a respeito do filme.

Rua Cloverfield, 10 não é necessariamente uma sequência, não tem os personagens do filme de 2008, não é um mas um found footage.
"E é o quê macho?!"
Rua Cloverfield, 10 é um paralelo com o filme original.
"Ômi, deixe leruaite e dir logo o que é isso daí!"

Rua Cloverfield, 10 se passa no mesmo universo e período que o filme original. Se você prestar atenção ao assistir o filme, poderá encontrar easter eggs, mas o mais importante é que o filme tem a mesma originalidade e qualidade. O filme é uma espécie de thriller psicológico de um nível de imersão impressionante.

Depois que Michelle sofre o acidente citado na sinopse, ela acorda em um quarto presa por uma algema com uma corrente em seu joelho direito, impedindo sua mobilidade. Sem saber de absolutamente nada, e câmera mostra apenas o campo de visão dela, nos colocando dentro da situação. É angustiante! Até que aparece Howard, um senhor muito estranho, com jeito ameaçador, diz ter salvado sua vida e passa a contar umas conversas estranhas sobre "o mundo como você conhece não existe mais". Michele antão fica sabendo que ela está em um Banker e depois de conhecer Emmett, um outro homem que também foi ajudado por Howard.

Michelle: Mary Elizabeth Winstead (Ramona de Scott Pilgrim Contra o Mundo) simplesmente "se garantiu" em sua interpretação. Suas expressões são perfeitas pra situação e ajuda na nossa imersão no filme e em nenhum momento Michelle é aquela personagem tipica personagem frágil, chata, estérica e burra que víamos em diversos filmes, pelo contrário, mostrando todo o estilo das novas protagonistas femininas que tem me deixado bastante satisfeito.

Howard: John Goodman tem uma interpretação incrível como Howard, um cara realmente amedrontador por ser bastante instável. Ele é bem perturbado e ameaçador, me lembrando muito o John Loke de Lost sendo o único louco que realmente parece saber de tudo que está acontecendo.

Emmett: John Gallagher Jr. completa o pequeno elenco com um bom desenvolvimento, competente em sua proposta. Ficando atras um pouco dos outros dois protagonistas.

Existe ainda uma participação especial que eu realmente só reparei nos créditos, de Bradley Cooper, amigo de J.J. desde os tempos de Alias.
  • "J.J. "seje" meu amigo aí "véi", da uma forcinha pro Callango Nerd aí "chapa! Eu sou muito retardado até parece que ele vai ver isso! XD"
A fotografia do filme é outro ponto forte. O trabalho exercido pelo diretor de fotografia Jeff Cutter, que mesmo não sendo um filme found footage, teve tomadas com a câmera na mão. Mas o melhor são as cenas com câmera parada, focando nos personagens de forma inteligente que nos coloca dentro do filme. eu me senti assim mesmo o filme não sendo um 3D.

Veredito: Rua Cloverfiel, 10 é um filme que claustrofóbico, empolgante e angustiante ao mesmo tempo. Com apenas três atores em cena, o filme apresenta uma trama bastante elaborada dentro de um universo repleto de possibilidades, pois existem um mundo do lado de fora do bunker, o mesmo mundo que recebeu o ataque do filme original. Só não posso contar mais por se tratar de spoiler.

Rua Cloverfiel, 10 é surpreendente e vale muito a pena assistir!

Nota: 10/10


COMPARTILHE

Postar um comentário

CRÍTICA DE CINEMA

SÉRIES

CURIOSIDADES

ARTISTS ALLEY

Copyright © CALLANGO NERD. Designed by OddThemes