CRÍTICA | Batman vs Superman: A Origem da Justiça (atualizado com versão estendida)


E aí "negada", fui assistir na madrugada da última quarta para quinta-feira no Shopping Rio-Mar, esse que é o filme que eu sonhei desde a minha infância e nunca tive esperança que acontecesse. Batman vs Superman: A Origem da Justiça. Eu estava com meu sobrinho Matheus, a namorada dele, Thais e uma galera massa que estava com eles. Agora vamos deixar de "leruaite" e partir para o que interessa. Geralmente eu não lanço spoilers nos comentários, mas foi difícil fazer sem. Então...

Título original: Batman v Superman:
Dawn Of Justice
Lançamento: 24 de março de 2016 (2h33min/3h02min)
Dirigido por: Zack Snyder
Com: Ben Affleck, Henry Cavill , Jesse Eisenberg, Gal Gadot.
Gênero: Ação , Fantasia
Nacionalidade: EUA
Não recomendado para menores de 12 anos
Distribuidor: WARNER BROS.
Ano de produção 2016


Sinopse: O confronto entre Superman (Henry Cavill) e Zod (Michael Shannon) em Metrópolis fez com que a população mundial se dividisse acerca da existência de extra-terrestres na Terra. Enquanto muitos consideram o Superman como um novo deus, há aqueles que consideram extremamente perigoso que haja um ser tão poderoso sem qualquer tipo de controle. Bruce Wayne (Ben Affleck) é um dos que acreditam nesta segunda hipótese. Sob o manto de um Batman mais experiente e menos misericordioso, que investiga o laboratório de Lex Luthor (Jesse Eisenberg), que descobriu uma pedra brilhante de cor verde que consegue eliminar e enfraquecer os filhos de Krypton.

Por muito tempo me perguntei: Porque a DC não faz filmes bons de seus heróis?
Olha que antes da trilogia Cavaleiro das Trevas do Nolan, não teve um filme sequer que tivesse um bom proveito. Apenas as animações. Os filmes dirigidos por Tim Burton são bons, mas ainda estava longe de realizar o sonho de infância de muito Nerd como eu. Ver A Liga da Justiça no Cinema!
Com a Marvel na frente e sua brilhante ideia de criar um universo compartilhado, expandindo até para as séries, o que a DC poderia fazer? Impor sua característica que todos os fãs de HQ conhecem, mas que não havia sido introduzido no cinema de forma ampla e maciça.

Com o "bonde andando", veio O Homem de Aço, apresentando um filme mais sombrio do Superman. O filho de Krypton não é um personagem sombrio, mas sua apresentação para a nova geração explorando a questão de ele ser um alienígena, mesmo com sua aparência humana e grande bondade, abril portas para o próximo passo. Iniciar a Liga da Justiça, usando o que a DC tem de melhor em um filme só. Em Batman vs Superman: A Origem da Justiça, vemos uma história que se sustenta em si, baseada nas HQ de maior sucesso da DC, que são Dark Knight Returns e A Morte do Superman, além de referências a outras HQs.

Batman: O filme inicia com a apresentação de um novo Batman, com cenas já conhecidas, sobre a morte de Thomas e Martha Wayne e a queda do jovem Bruce em um buraco, que futuramente viria a ser a batcaverna. Essa apresentação é feita de forma sutil e envolvente, nos situando sobre o novo Batman. Um salto no tempo apresenta um Bruce Wayne grisalho em meio á destruição causada pela luta de Superman com Zod.
Como já havia sido prometido, grande parte da trama gira em torno do Batman e a interpretação de Ben Affleck impõe respeito!
Ben Affleck, diferente do que muitos acreditavam, faz um dos melhores Batmans já vistos na telona. Bruce já não é mais jovem e tem nas costas, anos de experiência combatendo o crime em Gotham. Tudo que ele passou desde a sua infância, até a morte do Robin pelo Coringa, representado pelo uniforme do fiel escudeiro do Batman pinchado na batcaverna, fez dele um Batman menos misericordioso e mais violento do que já havíamos visto antes. Eu posso dizer que esse é o Batman que eu sempre quis ver. Ben Affleck faz perfeitamente esse misto do Bilionário ao Justiceiro e calou muita gente que ficou de "mimimi" antes da estreia.
Christian Bale foi bom, mas já passou. O Batman do Nolan jamais se encaixaria nesse universo.

Superman: Henry Cavil faz um Superman mais sisudo que divide opiniões depois dos acontecimentos do filme anterior. Existem pessoa que acreditam nele, considerando-o como um novo deus, afinal sua intenções não são ruins. Outros consideram ele como perigoso, por ser tão poderoso e não é responder a ninguém.
No filme anterior nós vimos apenas o lado Super de Clark Kent que ainda agia como Khal-El tentando se esconder sem conseguir parar de salvar as pessoas. Nesse filme podemos conhecer um pouco do jornalista que trabalha no Planeta Diário (Daily Planet). O pior Jornalista que eu já vi na vida. Sério, como um jornalista não conhece Bruce Wayne? Mesmo assim, Clark foca no vigilante de Gotham, não concordando com a forma que o tal Batman cuida do crime e mais uma vez Snyder usa uma sacada inteligente sobre o herói. No filme anterior, o filho de Krypton só tinha sido visto como Clark Kent por Lois Lane, que sempre soube de tudo, afinal, ninguém muda tanto assim só pelo fato das roupas largas, o penteado e os óculos. Nesse filme quem convive com Clark no Planeta Diário, não conhece o Superman de perto a ponto de sacar quem ele é.  Eles não insultam nossa inteligência.

A luta travada entre os dois é realmente épica e digna de tanto tempo que eu esperei. Quem jogou Injustice e assistiu Batman Dark Knight Returns Parte 2, vai se ligar do que estou me referindo.

Mulher-Maravilha: Gal Gadot da um show de carisma e competência em sua interpretação com Diana Prince. Sua apresentação é misteriosa, sem necessidade de explicar tanto, mas é o suficiente para inserir a amazona no contexto do filme e na linha de fogo do vilão sem dever nada para os heróis título do filme. Diana é misteriosa, envolvente o suficiente para deixar Bruce doido. Como Mulher-Maravilha ela é imponente, extremamente poderosa, uma verdadeira guerreira que tem cede de batalha, chegando a abrir um sorriso após levar um golpe de Apocalipse. Essa gosta é da "chibata!", Mão nos "beiço", "cangapé" e "voadora".

Lex Luthor: Lex é outro personagem que já chega pronto, sem muitas explicações e origem. Jesse Eisenberg no mostra um Lex diferente dos interpretados por Gene Hackman e Kevin Space. Esse Lex é simplesmente demente, sádico, frio e manipulador. Não é o Lex que costumávamos ver. Louco, lembrando muito o Coringa. Funciona no filme? Funciona! Eu preferiria um Lex menos pertubado e mais experiente, mas se analisarmos o contexto do filme, só um Lex assim faria o que ele fez, criar uma criatura tão terrível como o Apocalypse (Doomsday). Isso não é spoiler, os trailers já tinham deixado claro.

Apocalypse: Apocalypse (Doomsday) é uma criatura altamente poderosa e perigosa. Uma maquina de destruição e isso é apresentado perfeitamente. Inicialmente eu não gostei da sua aparência, mas com pouco tempo em cena nos vemos sua aparência como conhecemos. Apocalypse é tão poderoso que é necessário uma força tarefa entre o trio para que ele possa ser detido. Coisa que não foi nada fácil. Lembrei muito de Dragon Ball na hora pela magnitude da batalha. Eles não economizaram nem um pouco.

Elenco Coadjuvante: O filme é bem amarrado e não perde muito tempo com o elenco coadjuvante que compre bem o seu papel, tendo como destaque Lois Lane e Alfred que eu preferiria um ator com aparência de mais velho. Jeremy Irons é muito garotão.

Geral: O filme tem uma atmosfera única e impõe o estilo do universo DC no cinema. Finalmente! Marvel e DC sempre tiveram suas semelhança é diferenças, mas Zack Snyder resolveu apresentar essa diferença com um filme maduro é sombrio. Suas sequências de luta, já conhecidas em 300 , nos trazem coreografias são muito boas, principalmente pelo Batman. O filme utiliza também de cenas em câmera lenta, assim com 300 e outros filmes do Snyder, que o 3D ajuda a amplificar a sensação de profundidade, assim como a trilha sonora de Hans Zimmer, muito boa.

O que me incomodou: 
  1. Alfred parece muito jovem  comparação com Bruce. Não dá pra acreditar que Bruce foi criado por ele.
  2. A expressão sisuda do Superman e a pouca quantidade de cenas de heroísmo.
  3. Declaração de amor do Superman em momento inoportuno, no meio do calor da batalha. Isso sempre  me incomodou, mas não sei porque os diretores insistem com isso.
  4. A demora do filme pra finalmente esquentar. Poderia intercalar um pouco para não dar impressão de cansativo. Mesmo assim a trama é envolvente.
  5. Trabalho de Marketing do filme que entregou a trama inteira deixando agente descobrir apenas como. Ainda bem que eu assisti apenas a dois trailers e uma propaganda de TV. Se eu tivesse visto aquele troço de dez minutos, a raiva teria sido maior.
Veredito final: Gostei bastante do filme, me trouxe a atmosfera sombria que eu esperava. Mesmo com os poucos pontos negativos. Os positivos sobressaem. O filme compre bem sua proposta e é muito eficiente quanto a isso.  Os melhores momentos são os do Batman, incluindo os sonhos estranhos que aguçam a curiosidade.
Pra mim, a melhor sensação que eu tenho quando termina um filme, é a vontade de assistir de novo, esse filme me cativou trazendo uma receita nova e diferente de se fazer filme de super heróis.

Nota: 8,5/10

[ATUALIZAÇÃO COM SPOILER]
Assistindo a versão estendida de 3 horas, percebi que Batman vs Superman é um melhor do que eu já achava que era.

Confira a descrição das cenas e o que mudou:
  • A cena na África: A cena com Lois na África é bem maior: vemos os agentes da CIA parceiros de Jimmy Olsen atacando o complexo com um drone armado, e antes de invadir o complexo Superman derruba tanto o drone quanto um míssil disparado contra o local, que teria matado Lois e os outros africanos. A armação de Anatoli de carbonizar cadáveres para incriminar Superman fica mais clara.

  • Futebol americano: Os policiais que respondem à ocorrência e confrontam o Batman no porto, estão assistindo na viatura a uma partida de futebol americano universitário entre Gotham e Metrópolis, jogo acaba em briga e surge um comentário que "Gotham e seu time são como um só".

  • Bat raspadinha: Vemos momentos de Clark como repórter investigando o Batman. Ele vai até Gotham atrás de Kahina Ziri (a mulher que depõe no Congresso contra Superman sobre os acontecimentos na África) e encontra um senhor com uma raspadinha em forma de Morcego, que fala do medo que a população tem do "demônio". "Ele é mau e está caçando".

  • "Velhinha chegada num nerd": Durante diversos momentos Clark discute com o chefe por estar interessado no Batman, enquanto o chefe quer que ele cubra os esportes. Depois de bater de frente com Perry, Clark recebe pessoalmente na redação do Planeta Diário o convite para o evento de reabertura da Biblioteca de Metrópolis, na casa de Luthor. "Deve ser alguma velhinha de caridades que é chegada num nerd", ironiza Perry. Na versão de cinema Clark já aparecia direto na festa, sem menção a convites. Isso deu uma impressão de que Clark é um repórter despreparado por ir fazer a cobertura de um evento e não saber quem é Bruce Wayne. Isso eu até comentei na parte de Superman no inicio do post.

  • Telefonema sobre o pai: Clark mostra sua proximidade e afeto com sua mãe após a acusação no Congresso, ele liga para Martha, pergunta por que seu pai nunca saiu do Kansas. "Eu queria que as coisas fossem mais simples", diz ele para a mãe.

  • Sem Batgirl: Jena Malone diferente do que muitos pensavam,  não vive a Batgirl Barbara Gordon. Ela aparece como Janet Klyburn, funcionária de um laboratório forense que examina a bala que Lois Lane encontrou presa em seu diário no ataque da África. Essa investigação apresenta os motivos pelos quais o Superman não viu a bomba dentro da cadeira de rodas, por ser revestida de chumbo.

  • Morte na cadeia: Durante todo o filme, vemos que o Batman marca os vilões em Gotham. O bandido marcado no começo do filme tem toda uma subtrama como parte do plano de Luthor e Anatoli para jogar Superman contra o Batman. Enquanto Clark investiga a marca do Batman, o bandido fica com outros internos no páteo da penitenciária de Gotham e é morto a facadas. Anatoli é visto saindo da prisão, o que relaciona os fatos. Ao mesmo tempo, o funcionário da Wayne que perdeu as pernas também é solto, sob fiança.

  • A gota d'água contra Batman: Clark vai à cadeia atrás de informações sobre o detento morto com a marca do Morcego, e encontra uma Sra. Santos com uma criança. Ela diz que o bandido era pai e seria transferido para uma penitenciária em Metrópolis antes de ser morto. "O Batman é o juiz, ele decide quem vive", diz.

  • Confissão: Kahina está dentro de um ônibus e vê Anatoli falando lá com o tal velho da raspadinha. Depois ele vai até a senadora Finch e confessa que a acusação contra Superman foi forjada. Ela pede que a senadora cancele a audiência pública que ouvirá o testemunho do Homem de Aço.

  • Lois e Anatoli: Depois de conseguir informações com o General Swanwick sobre a bala especial, e antes de ser raptada por Anatoli ao pé da escada rolante, Lois cruza com o vilão em uma nova cena, dentro do metrô, em que ela não o vê. Logo em seguida Anatoli mata Kahina jogando-a nos trilhos, enquanto Lois telefona desesperada para Perry, pedindo que Superman não vá à audiência, por ser uma armação.

  • Batman na LexCorp: A cena da invasão da LexCorp por Batman tem um relance inédito. Antes do plano que mostra Lex pisando nas balas, no hall de entrada, o vilão passa pelos monitores dos seguranças, que mostram o vulto preto de Batman vindo de cima e desaparecendo com um dos guardas. Como Batman deixa um BatShuriken cravado de lembrança, sua passagem por ali é mais do que reiterada...

  • Exílio: Depois da explosão no Congresso, Superman fica ajudando algumas pessoa que ficaram feridas, mostrando mais momentos de heroísmo do filho de Kripton. Depois ele decide se exilar. A cena da montanha gelada, com a visão do pai, que está na versão de cinema, é precedida no corte estendido por toda a chegada de Clark a pé, com roupas de civis. Os guias no pé da montanha acham que ele chegou para se suicidar. Enquanto isso, na CNN, especula-se sobre a participação de Superman no atentado.

  • O Vilão na nave: Lois vai ao apartamento do homem que perdeu as pernas e descobre que ele tinha a geladeira cheia - ou seja, foi usado por Luthor como isca e não sabia da bomba no Congresso. Outro exame detecta que o material da cadeira de rodas que o pixador ganhou da LexCorp impediu que Superman escutasse a bomba dentro da cadeira.

  • Caixas maternas: Depois da "chibata" entre Batman e Superman, surge a cena já divulgada em que Luthor tem umaespécie de comunhão com Steppenwolf na nave kriptoniana. A cena apresenta algo como se Lex tivesse absorvendo um conhecimento vindo o alien que some assim que os agentes chegam para prender Lex.

  • Velório: A cena do velório na casa de Martha Kent é um pouco mais extensa e tem, entre outras curiosidades, uma ponta da produtora Deborah Snyder, mulher de Zack Snyder. Depois, o padre diz a Martha que o funeral foi pago por um doador anônimo - que logo entendemos ser Bruce Wayne. Pete e Lana, amigos de infância de Clark, são listados nessa cena durante os créditos finais. 

  • Arkham: O diálogo entre Batman e Luthor na prisão tem falas a mais. O vilão diz que "não há julgamento para loucos como eu". Batman responde que Lex está certo, e que "temos bons hospitais para cuidar de doentes, mas não é para lá que você vai. Tenho amigos no Asilo Arkham e consegui uma transferência para lá para você". Em seguida a cena termina com a fala já conhecida de Luthor mencionando os sinos que tocam e a ameaça do espaço. Isso tudo mostra muito bem de quem realmente Lex está falando, e não era Darkside.
O filme foi simplesmente mutilado, mas as mudanças não alteram o rumo do filme e sim esclarecem o contexto apresentando, algo mais amarrado, explicando melhor toda compreensão do filme.

Você que está lendo pode até ter uma opinião diferente e achar que esse filme não foi tão bom assim que mereça a nota que eu dei, mas quanto a isso eu sou suspeito. Eu esperei por esse filme desde criança, quando eu tinha a HQ do Cavaleiro das Trevas que eu ganhei do meu irmão e perdi em uma enchente aos 9 anos. Isso foi traumático pra mim XD.

Com isso irei mudar minha nota.

Nota: 9/10


COMPARTILHE

Postar um comentário

CRÍTICA DE CINEMA

SÉRIES

CURIOSIDADES

ARTISTS ALLEY

Copyright © CALLANGO NERD. Designed by OddThemes